01

jul

2015

[Editoral de julho] – Voltamos!

Por Luana Ribeiro

 

As coisas mudam
Ilustração da Mônica Crema <3

Esse é nosso primeiro post daqui do lado de fora da zona de conforto. Por isso vim aqui com meu espanador tirar todas as teias de aranhas do blog para deixá-lo bem arrumadinho para iniciar uma nova fase. Ainda não contamos aqui, mas estamos finalmente tocando pra frente um projeto antigo de ter nosso próprio negócio e trabalhar remotamente.

Sonhamos isso por alguns anos, mas finalmente concordamos que chegou a hora e não dava mais para esperar. Foi difícil foi (foi intenso foi haha), com muitas crises e inseguranças pelo caminho, mas aqui estamos.

Apesar de termos ficado tanto tempo sem postar, nunca passou pela nossa cabeça acabar com o blog. Foi por causa dele que encontramos nosso primeiro trabalho como freelance e que nos abriu as portas para a possibilidade de trabalhar com criatividade. É uma questão de #gratidão.

Lembro que em 2010, na redação enquanto o site do jornal que nós trabalhávamos não estreava, nós produzíamos uma série de matérias e passávamos algumas horas conversando sobre mil coisas e anotando tudo em um caderno de ideias (que eu guardo até hoje), nessa época nós falamos pela primeira vez em trabalhar com conteúdo.

Nossas cabeças estavam fervilhando de ideias e então decidimos começar o blog para começar a despejar nossas ideias aqui. Estamos assim de novo, com cabeça a mil e nessa nova fase, queremos resgatar a nossa essência, de fazer um conteúdo que a gente goste de escrever e, principalmente, vocês de ler.

Que comecem os posts!

PS: Não posso deixar de agradecer a todas as pessoas que mesmo com o blog desatualizado passaram por aqui, deixaram comentários, falaram no WhatsApp e cobraram post. Muito obrigada! A gente fica muito feliz com nossa pequena, mas sincera e fiel audiência.

posts relacionados

10

jun

2015

Big data vira arma no combate ao crime

Por Luana Ribeiro

big data refined cs6

big data refined cs6

A grande massa de informações acumulada ao longo dos últimos anos através dos dados que são transmitidos pela rede mundial de computadores tem produzido resultados muito além do esperado e em áreas das mais diversificadas. Essa big data, que inclui textos, fotos e vídeos, tem sido regularmente usada pela Polícia de Los Angeles no combate à criminalidade há mais de três décadas. O departamento focou seus esforços no armazenamento de informações de 130 milhões de crimes cometidos a partir dos anos 80 e continua atualizando esses dados em um programa que foi desenvolvido justamente para essa finalidade.

O objetivo é, a partir dos dados coletados, realizar uma análise que permita gerar uma espécie de mapa da criminalidade. Esse painel faz com que os responsáveis pelo departamento de inteligência do Departamento de Polícia de Los Angeles possam tentar se antecipar aos criminosos reforçando a vigilância nas regiões onde há mais probabilidade da ocorrência das infrações e, dessa maneira, tentem evitar que elas aconteçam.

Esse tipo de estudo comportamental é similar ao que os responsáveis pelas lojas online fazem com as pessoas que visitam certas páginas na Internet. De acordo com o conteúdo que visitam, estejam essas páginas em sites de notícias, mídias sociais ou mesmo em lugares especializados em vendas, tentam antecipar os produtos que desejam adquirir e enviam ofertas e promoções que estariam mais próximas de atender a seus gostos.

Big data ajuda polícia a derrubar índices de criminalidade

O trabalho da Polícia de Los Angeles a partir da big data conseguiu os seus melhores resultados proporcionais em relação aos furtos. Com o policiamento preventivo, reduziu em 33% esse tipo de ocorrência.  O número de crimes violentos foi cortado em 21% e as violações contra a propriedade tiveram uma queda de 12%.

O sucesso de tal estratégia fez com que ela fosse estudada e adotada por outros departamentos policiais não apenas dos Estados Unidos, mas também de outros países. O programa de computador utilizado pelo Departamento de Polícia de Los Angeles foi adaptado e está sendo usado por cidades norte-americanas e ainda no Reino Unido, Canadá, Austrália, França, Itália e China.

Fonte: vouchercloud

posts relacionados

16

abr

2015

Links que amamos #22

Por Camila Martins

Apesar de assuntos variados, os links dessa semana têm algumas coisas em comum, como filmes e seriados. Entretenimento a parte, com lançamentos da telona, Game of Thrones e a despedida de Mad Men, escolhemos também um post útil sobre decoração de pequenos espaços e outro que conversa tanto com moda, quanto com comportamento, acerca do exercício de encontrar um estilo para dias de trabalho, em uma tentativa de evitar o estresse na hora de decidir o que vestir. Sem mais delongas, vamos a lista?

links que amamos2

Essa semana, a história da americana que há três anos veste a mesma roupa para trabalhar todos os dias, tomou conta das redes sociais. A Ana, do blog Hoje Vou Assim Off, fez um post-reflexão sobre o exercício de se vestir para o trabalho, e como criar um uniforme pessoal não quer dizer se vestir com a mesma roupa todos os dias. E ela ainda dá ideias de combinações para usar no dia a dia, para quem procura praticidade, mas pretende fugir da obviedade. Um dos posts mais bacana em blogs de moda que lemos esse ano!

links que amamos3

Tem dias que tudo que a gente precisa é de paz, respirar um pouco e dar um descanso para a mente (principalmente quem sofre de overthinking). A Bruna, do Depois dos Quinze, montou uma playlist com 9 músicas para se acalmar. Funciona, viu?

links que amamos1

O série Mad Men está em sua última temporada e o site Omelete fez uma lista com 10 filmes que influenciaram o seriado. A seleção tem comentários de Matthew Weiner, o criador do programa, e ajuda o telespectador, a entender um pouco de como a série foi concebida.

"Knight of Cups"

2015 promete grandes estreias no cinema, com blockbusters de peso, como a continuação da franquia de Os Vingadores, Jurassic Park e o esperado Star Wars, que chega somente em dezembro, mas apesar de famosos, esses títulos não podem ofuscar outros lançamentos que vem por aí. O Esquire publicou uma lista com 11 filmes que ninguém pode perder esse ano. Entre eles, estão produções dos irmãos Coen, Richard Linklater – a mente por trás de Boyhood e Dazed and Confused, Tarantino e mais uma comédia romântica de Cameron Crowe (o mesmo de Say Anything… e Jerry Maguire!!!).

links que amamos5

The winter is coming e Game of Thrones está finalmente de volta! Com um ano de hiato e tantos núcleos dentro da série, fica difícil lembrar o que aconteceu com os diversos personagens de George R.R Martin. Quem morreu? Quem continua vivo e agora, que casais shipparemos? Essas e outras questões estão respondidas através de um guia deveras explicativo, do Decider.

links que amamos6

A Thais Godinho, do Vida Organizada levantou uma questão interessante e real no mercado imobiliário – os apartamentos estão cada vez menores e para quem mora em um lugar não tão espaçoso, pensar na decoração ideal e também na melhor organização, são dois detalhes importantes para não diminuir ainda mais o metro quadrado. Nesse post, ela dá dicas práticas de como aproveitar o ambiente da maneira mais adequada possível.

Gostaram dos links? :)

posts relacionados

13

abr

2015

[Editorial de abril] – Sonhos

Por Camila Martins

560193f01d6c28e54ad16f1e9a58b372

Desde quando decidimos introduzir a ideia de um editorial mensal no Glammood o plano foi de falar um pouco do que andava acontecendo dentro de nossas cabeças, mas claro, relacionando o que quer que se passasse ali, com o que aconteceria aqui. Para o mês de abril, apesar do atraso, em uma tentativa de organizar os pensamentos e puxar um tema em meio a tanta coisa que vem acontecendo, não deu outra: está definitivamente aberta a temporada dos sonhos.

Acredito que até mesmo a pessoa mais cética ou quem sabe pé no chão nesse mundo, tem um sonho de grandes proporções. Não falo aqui de devaneios fictícios, como se casar com o Johnny Depp, por exemplo, mas uma aspiração de vida que pode até ser de difícil acesso, porém não é de maneira nenhuma impossível. De ambos os tipos de sonhos, posso dizer que entendo bem. Foram anos de fantasias adolescentes, e bom, para ser sincera, até hoje me imagino noiva do rapaz aqui citado, o que no caso, não faz parte da questão agora.

Quero mesmo, em primeiro lugar compartilhar que cheguei a conclusão de que essa coisa de sonho é muito como um relacionamento. É um caso de amor com todas as dificuldades de convivência que podemos encontrar dividindo a vida com uma pessoa física, por assim dizer. Depois de longos anos lado a lado, somando expectativas e doses difíceis de realidade, vem o cansaço e o que parece um prelúdio de desistência, de “eu já não aguento mais”.

Há alguns meses, devido a certos percalços, preciso confessar que pensei ter chegado no meu limite. Senti que havia investido emoções e muita energia em uma possibilidade que talvez existisse apenas para mim e a espera que um dia foi doce, de repente se tornara amarga, e eu tive raiva por ter vislumbrado aquela ideia. Me senti idiota, na verdade, queria me dar os parabéns, com muita ironia, por ter entendido tudo errado. Chorei as pitangas, disse que não queria mais, quis me esvaziar daquilo que me acompanhou por tanto tempo, cresceu dentro de mim e criou raízes no meu coração. Essa sim parecia uma decisão sensata – chega de devaneios.

Só que ao contrário do que a fadiga me dizia, nunca houveram promessas de que seria simples. Obstáculos existem mesmo e gente para dizer que não vai dar certo, mais ainda. Sendo que, se o sonho é seu, a responsabilidade é sua também. E assim como numa relação de parceria e companheirismo, a convivência vem repleta de desafios e algumas brigas internas. Se for de fato importante, a luta pode ser diária, a espera esmagadora, mas a renúncia, fora de cogitação.

Depois da crise, fiz as pazes com meu sonho, abracei forte e prometi não largar mais. Fora esse, tenho vários, ou melhor dizendo, temos – nós aqui no Glammood, na verdade, entre outras coisas, somos movidas principalmente por eles. Abastecidas desse combustível cheio de inspiração, esperamos que o restante de abril e os meses que estão por vir, sejam revestido de um novo fôlego e vontade de ir atrás do que a gente quer, ainda que o percurso não seja dos mais favoráveis.

posts relacionados

Autoras
pesquise

 

parceiros